Publicações

Aqui estão disponíveis os livros publicados pelos autores do GT Metrópole, Estado e Capital, com selo Observatório das Metrópoles. O download é gratuito!

"As metrópoles e o capitalismo financeirizado",
organização de Luiz Cesar de Queiroz Ribeiro (2021)

As Metrópoles e o Capitalismo Financeirizado

Este livro reúne os resultados do trabalho coletivo de pesquisa e reflexão realizado pelos integrantes do Grupo de Pesquisa Metrópole, Estado e Capital, criado em 2015, no âmbito do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Observatório das Metrópoles. Na origem, a principal justificativa para a criação deste grupo deveu-se ao interesse dos seus integrantes em estabelecer um diálogo teórico e analítico entre a matriz teórica braudeliana-arrighiana e o pensamento crítico presente no campo dos estudos urbanos e regionais. Ao fazê-lo, buscávamos alternativas de interpretação sobre as conexões entre as transformações do capitalismo, em curso desde os anos 1970, e os processos de reestruturação urbana-regional em suas variadas dimensões, como a econômica, social, política e cultural. Os capítulos resultam da produção dos seus integrantes e de autores e autoras com quem mantivemos interações intelectuais, diretas ou indiretas, compartilhando indagações, análises e inquietações teóricas.

Como citar:

RIBEIRO, L. C. Q. (org). As metrópoles e o capitalismo financeirizado. 2a edição. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2021, 642p. ISBN 978-85-7785-730-2.

"A financeirização na longa duração: dinheiro, tempo e poder", autoria de Nelson Diniz de Carvalho Filho (2020)

livro_nelsondiniz.jpg

Ao menos desde a crise de 2007-9, foram amplamente difundidos o conceito e as teses da financeirização, quer dizer, os discursos que conformam um campo de reflexão ao redor desse conceito. A pesquisa que originou esta tese foi conduzida, em primeiro lugar, como uma revisão das teses da financeirização. Ela nasceu do relativo incômodo a respeito do modo como esse conceito vêm sendo incorporado nas pesquisas urbanas e da necessidade de defini-lo com maior precisão. Portanto, seu objetivo geral é o de contribuir com a organização, a sistematização e a análise crítica do debate sobre esse conceito, com especial interesse em suas implicações para os estudos urbanos. Recorrendo, principalmente, às teorias do dinheiro e do crédito de Marx e à articulação dos aportes teóricos de David Harvey e Giovanni Arrighi, esta tese resultou em um conjunto de proposições teóricas, dentre as quais se destaca, por exemplo, a ideia dos ciclos sistêmicos de urbanização. Proposições que ora reforçam, ora questionam e oferecem alternativas às perspectivas que predominam no campo dos estudos urbanos, sobretudo aos argumentos de inspiração regulacionista. 

Como citar:

CARVALHO FILHO, N. D. A financeirização na longa duração: dinheiro, tempo e poder. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2020, 396p. ISBN 9786587594125.

"Dominância Financeira, Regulação Legal e Espaço Urbano: o caso da regularização fundiária no Brasil", autoria de Tarcyla Fidalgo Ribeiro (2021)

Dominância Financeira, Regulação Legal e Espaço Urbano

Este livro tem como objetivo explorar o papel da regulação legal na mediação das relações entre o capitalismo sob dominância financeira e o espaço urbano, a partir da dimensão fundiária. Para tanto, adota uma perspectiva interdisciplinar, utilizando elementos dos campos teóricos do planejamento urbano, economia política e direito. Partindo do recorte estabelecido, a pesquisa propõe a interpretação de que a regulação legal vem mediando as relações entre o capitalismo e espaço urbano ao longo da história, com destaque para a difusão da propriedade privada, sob o aspecto prático e enquanto ideologia, que se mostra fundamental até os dias atuais.

Como citar:

RIBEIRO, T. F. Dominância Financeira, Regulação Legal e Espaço Urbano: o caso da regularização fundiária no Brasil. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2021, 261p. ISBN 9786587594941.

capa-dissertacao-alexandre_page-0001-1 (1).jpg

As recentes transformações no setor imobiliário sob a dominância financeira têm impactado na (re)produção da metrópole de São Paulo. Nossa pesquisa busca reunir elementos que ajudem a ampliar a compreensão de como os fluxos globais de capital se friccionam e se ajustam as diversas texturas sociais, permitindo que o capital global possa se “ancorar” ao solo, extrair a renda, e continuar seu fluxo. Procuramos fazer uma análise dos arranjos multiescalares que sustentam e comandam o processo de produção do ambiente construído. Trazer à tona como agentes financeiros globais se organizam e se movimentam, suportados por outros agentes como: agências globais multilaterais, poder público e agentes locais. Fazemos isso a partir do estudo da intensa atividade imobiliária, residencial e logística, na última década, em Cajamar na Região Metropolitana de São Paulo.

Como citar:

YASSU, A. A reestruturação imobiliária e os arranjos escalares na (re)produção da metrópole: o caso de Cajamar-SP. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2021, 219p. ISBN 9786589925026.

La Cuestión Urbana en la Geocultura

Este livro visa a compreender as transformações dos diferentes momentos histórico-teóricos da questão urbana no desenvolvimento da geocultura do sistema-mundo capitalista. Para isto, o autor adotou uma perspectiva de análise do capitalismo como sistema histórico pela necessidade de questionar a produção, circulação e adaptação de conhecimentos hegemônicos sobre as cidades na América Latina e o predomínio do nacionalismo metodológico que dificulta o debate sobre a construção de teorias urbanas latino-americanas. Héctor Marcelo Rodríguez Mancilla sustenta a tese de que a questão urbana se constituiu num problema a ser resolvido pela geocultura, o que levou a construir, difundir e desenvolver uma ciência específica do urbano para assegurar a gestão e legitimação da ordem do sistema-mundo capitalista e sua expansão para periferia.

Como citar:

MANCILLA, H. M. R. La cuestión urbana en la geocultura. Ciclos de importación, exportación y traducción del conocimiento sobre ciudades en América Latina. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2020, 346p. ISBN 9786587594132.

Para conhecer as outras publicações do Observatório das Metrópoles, acesse nossa Biblioteca Digital.